segunda-feira, 20 de abril de 2009

Um Mano que morre; um Mano que nasce...


***
Técnico de futebol jamais é unanimidade. Não é?

O húngaro Gusztav Sebes, o alemão Sepp Herberger, Sir.
Alex Ferguson, Bora Milutinovic, Carlos Alberto Parreira, entre
outros, sofreram pesadas críticas, mesmo depois de liderar
grandes façanhas.

Torcedor tem tanta paixão quanto impaciência.

E nós, humanos, costumamos julgar as pessoas pelo que elas
foram um dia ou pelos carimbos que puseram sobre elas.

Nosso julgamento raramente é calcado naquilo que a
pessoa é hoje.

E isso não vale somente para técnicos de futebol. Mas também
para parentes, amigos e colegas de trabalho.

Ora, mas as pessoas mudam. Como dizia Heráclito, o mesmo
homem não se banha duas vezes no mesmo rio.

Mano Menezes surgiu para o futebol como o bom gaúcho do
pampa, quieto, marrudo, encouraçado, defensivo.

Era o Mano do XV de Campo Bom.

Esse gaúcho, homem da fronteira, é historicamente dado
a entrincheirar-se, a lutar na retaguarda.

Aos poucos, começou a mudar no Grêmio. Mas ainda colecionou
derrotas em momentos decisivos.

Foi menos audacioso e confiante do que poderia em várias
pelejas.

No Corinthians, mostrou méritos, seriedade e equilíbrio. Mas...

Mas foi prudente demais. Fez a psicologia do "já está bom" e
do "adversário é superior".

Na Copa do Brasil, faltou atrevimento, a pegada corinthiana.

Mas o tempo passa, e os bons aprendem. Parreira, por
exemplo, tido como retranqueiro, assumiu logo a cultura
mosqueteira e obteve amplo sucesso.

Quem tem olhos para ver e ouvidos para ouvir, verá que um
Mano está morrendo. E que outro está nascendo.

Não teve medo de apontar os favorecimentos ao adversário
santo do pau oco, nem de responder ao arrogante M. Ramalho.

Percebeu o quão altaneiro é o Corinthians e está assimilando
nosso jeito de ser.

Ao assumir essa cultura de grandeza, mano a tem transferido
aos atletas.


Que este novo Mano, este sim "mano" nosso de verdade, seja
mais um vitorioso louco do bando.


O Corinthians é nossa história!!

12 comentários:

franklin disse...

parabens pelo seu blog,sempre que lia seus posts na comunidad,achava que vc deveria ter um,boa sorte

KAMIKA disse...

ESCOLHA UMA alCUNHA PARA O MARCO AURELIO CUNHA

ALTERNATIVAS:

1-LENHADOR DE BONSAI
2-FILHOTE DO CLOVIS BORNAY X CLODOVIL
3-M'AC ANÃO
4-DRAG QUEEN de salto baixo
5-MENOR DA MAIOR DO MUNDO (SPFW - AS BIBBAS)
6-”MENTIRINHA”- TB TEM PERNAS CURTAS
7-SAVA-VIDAS DE AQUARIO
8-BIT BITOKA
9-BAIXINHA, MAS UMA GRANDE BICHA
10-A PEQUENA GRANDE BAMBI
12-SALVA-VIDAS DE AQUARIO
13-freGAYsinho
14- "BARBIE-tchinha " do MORUMBIBA
15-PAGANTE DE 1/2 ENTRADA EM BOITE GAY
16-NASCIDO DE COITO INTERROMPIDO
17-LEÃO-DE-CHÁCARA DE PR´R-PRIMÁRIO
18-(6+3+3) = 24 / 2 “ENTÃO É MEIO GAY”
19-
20-
21-
22
23–TODAS AS ANTERIORES
24 -SUGESTÕES , ( MAS SÓ ATÉ 24 ALTERNATIVAS)

bloguedotimao disse...

Inclua-me fora dessa malandro!!! Mano sempre montou o time com o que tinha de melhor, esse time só surgiu quando todos estavam em condições físicas. Olha lá: Douglas, R9, Dentinho, JG, Alessandro e até o Elias foram para o estaleiro esse ano.

Se ele estava com medo de acreditar num time mais ofensivo? Aí pode ser.

No meu blogue eu faço uma discussão sobre o 4-2-3-1 que está agradando a nação.

PS: Já comprei o meu ingresso, hohoho!

KAMIKA disse...

UMA DAS RAÍZES SOCIOLÓGICAS DOS BAMBIS QUEREREM DESVALORIZAR O “PAULISTINHA” É SEU COMPORTAMENTO DE == ” ELITIZINHA ” COLONIZADA == .PODE SER COMPREENDIDA PELO GRANDE NEY LOPES == ” Essa doença é um dos resultados mais cruéis da colonização racial. Para inferiorizar e destruir, o racismo coloniza a mente de suas vítimas, fazendo com que o colonizado se sinta feio, pequeno, desimportante, porque não tem a aparência do colonizador. E, aí, diante do espelho, ele se insurge contra a própria imagem.
No Brasil, a eleição, pela mídia visual, de um padrão preferencial de beleza, baseado no tipo nórdico ou no caucásico (louro, alto, olhos claros), é o vetor mais letal dessa doença. E foi principalmente por causa dele que a PAULISTINHA se sentiu no direito de acusar o MORENINHO de fazer “crioulice” (termo não dicionarizado, mas corrente no nosso universo, como sinônimo de coisa feia, mal feita).
Aí, então, nos vem à cabeça a célebre jogada do Robson, pequeno grande meia-esquerda do Fluminense ( OU SPFW ) nos anos 50, o qual, do alto de sua auto-estima muito bem trabalhada, toda vez que se defrontava com uma parada indigesta como a que agora comentamos, mandava lá, de trivela: “– Eu também já fui preto e sei como é que é”…
==== ISTO EXPLICA O COMPORTAMENTO DA TORCIDINHA COM SEU ARRAIGADO ” COMPLEXO DE INFERIORIDADE- A ELITIZINHA DO 3ª MUNDO ” E QUE VIBRA COMO SE FOSSE GOL , QDO:
1- VENDE JOGADOR P/ EUROPA E ACHA QUE O CLUBE CUMPRE SUA GRANDE FUNÇÃO DE TIME PEQUENO : “FORNECER CRAQUES P/ EUROPA’, qdo. deveria reclamar DA DIRETORIA porque “não conseguir manter seus craques no time ??”
2 -vibra como ‘leitora da revista CARAS ‘ DO SALÁRIO ALTO DO JOGADOR COMO SE FOSSEM SEUS P/ GASTAR .
3-VIBRA C/ O PREÇO DO “PASSE” DO JOGADOR VENDIDO P/ O EXTERIOR E, ENGANADO PELA SUA DIRETORIAZINHA - A MAIS MODERNA E EFICIENTE - DO MUNDO - SÓ “COMPRA” JOGADOR A CUSTO ZERO.”(ACHA QUE O DINHEIRO VAI SER USADO P/ MONTAR UM ESQUADRÃO) .POR ISSO , UM TIMINHO SEM RAÇA, SEM TÉCNICA E SEM GARRA ( MELHOR É TER “ESTRUTURA ” E SER ETERNAMENTE GOZADA PELA TORCIDA DO TIMÃO )A DIRETORIAZINHA PAGA P/ IMPRENSA “ROSINHA” MANTER AS BAMBIS ,BOBINHAS E SEM SENSO CRITICO
4-DESPREZA O CAMPEONATO REGIONAL P/ REALIZAR GRANDES CLÁSSICOS NOS ANDES E GOZAREM DOS BOLIVIANOS E COLOMBIANOS. CHUPA BAMBI !!!!!

KAMIKA disse...

oh! que delícia !! oh!!! que delícia!!! oh!!! que delicía !!!
PERDER O " PAULISTINHA " , SER GOZADO POR TODOS CORINTHIANOS (COM TODOS SEUS DEDINHOS ) , PELOS SARDINHAS´PELA LUSINHA, ATÉ UM POUCO PELOS PORCOS !!!
E, TORCER NOS GRANDES CLÁSSICOS DA CORDILHEIRA DOS ANDES E GOZAR DE TODOS BOLIVIANOS E COLOMBIANOS QUE ENCONTRAR !!!!
OH! QUE DELÍCIA. A IMPRENSINHA DIZ QUE NÃO HÁ "GOZAÇÃO" MAIOR !!!

Scavinsky disse...

Caro Giúlio, sei que não é hora de falar sobre o retrospecto ruim do Corinthians no Pacaembu, mas temo pela nossa sorte nesse estádio de mau-agouro para nós.

Sou do grupo de corinthianos que não acham que o Pacaembu seja a nossa casa, como a mídia acabou plantando na cabeça das pessoas.

Torço muito para que, 54 anos depois do nosso último título conquistado nesse estádio (título paulista de 54, jogado em 55), saiamos dele no dia 3 de maio com mais uma taça de campeão paulista.

Filipe disse...

Bonito esse texto. Concordo contigo. MAS TEM QUE JOGAR BOLA!

Agora, mais que nunca.
Por São Jorge!

VAI CORINTHIANS!!!

RAFA disse...

IMPERDÍVEL!

HERNANES CONVOCANDO OS BAMBIS PARA O JOGO CONTRA O CORINTHIANS:

"EU GARANTO, EU DOU A MINHA PALAVRA, QUE VOCÊS NÃO VÃO SAIR DECEPCIONADOS DO MORUMBI!"

http://www.youtube.com/watch?v=GehR8uE45AU&eurl=http%3A%2F%2Fblogdosilvinho%2Ewordpress%2Ecom%2Fpage%2F2%2F&feature=player_embedded

HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA!!!!!!!!

THUNDER5 disse...

Que maravilha ver seu blog Tatanka!!Fico feliz e orgulhoso de ti!
Quanto ao Mano,acho que ele tem "estrela".Confio no trabalho dele.Seus desafios foram grandes,em sua jovem carreira.Mas o sucesso parece ser seu destino.Na copa do Brasil,a qual perdemos a final,creio que o time ainda não estava maduro...aquilo chegou cedo demais...se é que isso existe.Mas de todo fato,podemos e devemos tirar proveito.E todo dia,tudo é novo de novo.Aprendemos uma lição,mas a outras ainda.
.....Assim será voce,terás sucesso e conquistas,Tatanka!Pois tuas escolhas já demonstram isso.É inevitável!
Ganhamos todos nós,então!!
Abraço

Estêvão Macedo disse...

Tatanka, PERFEITOOO! É só dar tempo ao tempo. Quando pensei que ele iria vim com um time retrancado, não colocou pra frente, mostrou que não tem medo. E o que me espanta no mano é a tranquilidade o sangue frio dele. Ao contário do Muricy que perdeu contra o Santo André, lembra? Na coletiva tratou os reporters como lixo. E já perceberam que muitos tratam reporters como lixo, sendo que sem eles o futebol não viviria da maneira que vive!
VAIII CORINTHIAANSS!

Anônimo disse...

O MANO É O CARA!!

O MANO É NÓIS!!!

VAI CORINTHIANS!!!!

Paulo disse...

DOM ARNS, O PAPA PAULO VI, SÃO JORGE E O CORINTHIANS.

Um antigo secretário do papa Paulo VI (secretário esse que veio a tornar-se cardeal) contou-me que o Santo Padre sempre passeava pelos jardins do Vaticano meditando e, de quando em quando, parava para chamá-lo. Às vezes, o secretário corria, porque o papa parecia ter pressa. Era esse o momento em que Paulo VI puxava do bolso um papel ou um caderninho e, assim, passava lembretes de assuntos importantes, dos quais o secretário deveria preparar a pauta ou tomar providências.

Fui recebido muitas vezes pelo papa Paulo VI. Sempre que minhas funções me obrigaram a ir a Roma, não deixei de solicitar audiência com ele. Num dos encontros, levei um item mais na agenda. Motivo: a imprensa acabara de divulgar a famosa lista que os jornalistas logo iriam apelidar de “cassações de santos”. (Na verdade, tratava-se apenas de um reordenamento no calendário oficial da liturgia, que excluiu do rol então existente nomes de santos celebrados só em algumas determinadas regiões, e não no mundo todo.) Tal publicação, ao menos em São Paulo, suscitou uma onda de reclamações por parte dos que não se conformavam com o fato de seus santos favoritos terem sido excluídos do catálogo.

Foi o caso de São Jorge, patrono da Inglaterra e do Corinthians. Nosso povo entendeu que a Igreja não mais o considerava santo. E começou a protestar. Pois bem: decidi levar esse clamor popular ao próprio papa.

“Santo Padre, nosso povo não está entendendo direito a questão. São Jorge é muito popular no Brasil, sobretudo entre a imensa torcida do Corinthians, o clube de futebol mais popular de São Paulo.”

Logo percebi, pela expressão de seu rosto, que Paulo VI entendera o problema. Respondeu-me sem pestanejar: “Não podemos prejudicar a Inglaterra nem o Corinthians”. Puxou então um papelzinho (tal como ele costumava fazer nas caminhadas pelos jardins do Vaticano com seu secretário) e anotou, de próprio punho, o nome do arcebispo americano, encarregado das comunicações na Cúria Romana, a quem eu deveria procurar de imediato, levando-lhe o recado pontifício de que Sua Santidade era a favor da justificação da lista. “Caso contrário”, acrescentara o papa, “seremos culpados de um equívoco.”

Assim fiz, mostrando o bilhete papal ao arcebispo e explicando-lhe que, de acordo com o papa, São Jorge, embora passasse a não figurar mais no calendário universal, deveria constar ao menos do calendário da Inglaterra e do Brasil. Nesses dois países, o santo não só poderia continuar sendo venerado, como deveria sê-lo o que de fato aconteceu.

Meu simpático interlocutor tentou ficar com o bilhetinho, por conter seu nome grafado pela caneta e pelo punho do papa. Mas não deixei, porque também eu, afinal, queria guardar a pequena lembrança de minha audiência com o pontífice.

Esse meu encontro com o papa não me sai da memória, embora tenha ocorrido há mais de trinta anos. Para mim, estão muito vivas suas palavras finais naquele dia: “Temos de respeitar a devoção do povo, porque a Igreja, como nos ensinou o Concílio, é formada de uma boa porção de gente”.

Meu contato com o encarregado das comunicações desfez de imediato o equívoco de que São Jorge caíra do cavalo e ficara por terra para sempre. O arcebispo americano me garantiu:

“Ele está no Céu, protegendo os ingleses, que ensinaram o Corinthians a jogar, e certamente vai cuidar para que as derrotas, causadoras de tanta tristeza nos torcedores, não se multipliquem. Esteja certo, caro Cardeal Arns, de que minhas providências serão imediatas. É só o senhor conferir.”

Ao despedir-se, acrescentou ainda:

“Paulo VI é amigo da juventude. Deseja sempre transmitir esperança e alegria ao povo, assim como o senhor fará com o povo de São Paulo, tão logo para lá regresse. O Corinthians não pode perder a esperança por nossa causa! Pode confiar seus fiéis à proteção de São Jorge!”

A esperança o Corinthians não perderá nunca, mesmo porque Paulo VI também é santo!

(Dom Paulo Evaristo Arns, da obra “Corinthiano, Graças a Deus!”)