domingo, 19 de abril de 2009

2 x 0... Do you wanna dance? E outras visões do domingo...


***
Quem viu, jamais esquecerá...

A turma da Resistência Corinthiana estava no setor Vip,
S10, a poucos metros da torcida do São Paulo.

Eram inúmeras as provocações. Alguns torcedores do
time do Jardim Leonor passavam o dedos indicador e
médio sobre o antebraço, debochando dos afro-brasileiros,
dos mestiços...

De repente, o cérebro de Douglas, a visão de Ronaldo,
a rapidez de Jorge Henrique e a conclusão do mesmo
Douglas...

Nossa torcida dá o troco, do cordão de isolamento. Um,
dois, três, o São Paulo é freguês...

Seguem os insultos vindos do lado tricolor: "preto, favelado,
ladrão, vagabundo"...

Elas estão totalmente descontroladas...

E como o castigo vem a cavalo, aquele de São Jorge, vai lá
outro moreninho estufar a rede dos falsos bons moços do
presidente (ilegal) Juvenal Juvêncio.

Minutos depois, os meninos da Gestapo tricolor começam
a ficar amuados. Aos 20 minutos, começam a abandonar
o campo de batalha, vergonhosamente...

O Corinthians, sempre altaneiro, troca passes, envolve e
humilha o adversário. Sempre jogando na bola, com
virilidade, mas sem violência...

Até que alguém se lembra:

este é o salão de festas da Fiel.

Olé, olé, olé...

E mais...

Olé, olé, olé...

Parecia bailinho de aniversário, aqueles de garagem, com
lona de caminhão para barrar a garoa...

O time deu o tom, a Fiel seguiu no ritmo...

Deu para lembrar de "Do you wanna dance?", o hit de Johnny
Rivers que animou muitas festinhas ao redor do mundo.

E uma terceira vez...

Olé, olé, olé...

Ora, mas como botar um Johnny Rivers na vitrolinha?

Do you wanna dance?

Melhor não dar idéia...

Os delicados atletas tricolores certamente viriam correndo...



***


Organização Nota Zero

Para quem pretende ter seu estádio como uma dos palcos da
Copa do Mundo de 2.014, o São Paulo Futebol Clube tem
calcado sua propaganda na imperícia e na imprudência.

Não havia qualquer placa que indicasse o tal Setor Vip
S10. Os funcionários do clube eram incapazes de informar
os torcedores, entre eles alguns estrangeiros.

Famílias foram obrigadas a transitar de um lado a outro
do estádio, em meio aos belicosos sampaulinos na tentativa
de encontrar o portão de entrada.

Por conta do muro construído nesse acesso e da incapacidade
dos catraqueiros, a espera chegou a ser de 40 minutos no
setor.

Vários torcedores que chegaram às 15h00 só puderem assistir
ao jogo a partir de seu 25. minuto.

Aliás, no tal setor de "luxo", as escadas estavam
reservadas somente aos torcedores da casa.

Os visitantes, entre eles mulheres e crianças, tinham que
subir pelas cadeiras.

Se esse é o modelo de "gestão competente" dos arrogantes do
Morumbi, melhor que a sede paulista da Copa seja o Anacleto
Campanella ou o Ulrico Mursa.

Vergonhoso!

***

A barbárie consentida

Em clássicos com carga de ingressos dividida, as massas que
circundam os estádios são, em geral, equivalentes.

A imposição ditatorial da quota dos 10% ou 5%, obra da
promotoria, propicia um ambiente de caça aos visitantes.

Foi o que se viu no Morumbi. Bastava o sujeito não estar
vestindo o uniforme do time da casa para ser "denunciado".

Ao grito de "galinha preta", surgiam os covardes trogloditas
para hostilizar os torcedores adversários.

A idéia "luminosa" do Sr. Paulo Castilho apenas fortalece a
idéia de que o torcedor mandante tudo pode, inclusive
recorrer à violência contra os oponentes.

Mas nada se pode esperar de quem vê crime no gesto de
Cristian e se cala diante das malcriações de Marcelo
Teixeira.

3 comentários:

R disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
René disse...

Pior do que barbárie consentida: barbárie fantasiada com todo o bom mocismo possível da Civilização.

Mas hoje vão ter que ir chorar na cama que é lugar quente.

Lara disse...

Concordo com tudo e com o comentário do René, também...

De tudo fizeram para instaurar o clima de guerra e depois, a exemplo do que fizeram na outra partida, jogar a culpa nos "maloqueiros". A partir de agora tem é que filmar isso e divulgar por aí que é para o mundo conhecer a verdadeira face desse timinho sem vergonha na cara!

Abraços alvinegros!