sexta-feira, 1 de maio de 2009

O pior dos crimes: a palavra incinerada...


O ser humano é capaz das maiores atrocidades contra seus semelhantes. Mesmo sem ter fome, mesmo sem estar ameaçado, é capaz de prender, torturar e matar aquele que enxerga como competidor. A luta pelo poder, a inveja e o interesse econômico normalmente são causas desse tipo de atitude violenta.

Esses crimes contra a vida, entretanto, cessam normalmente um processo metabólico. De alguma forma, interrompem a homeostase.

Foi o que Hitler fez com judeus, homossexuais, ciganos e deficientes físicos. Trabalhou para cessar processos físicos autônomos e apagou consciências individuais.

Há, no entanto, um delito que produz um efeito de longo prazo, no devir, no processo histórico. Trata-se da tentativa de apagar a história ou deturpá-la, introduzindo a falsidade no inconsciente coletivo.

O nazismo foi mais cruel ao induzir o povo alemão a acreditar que a pobreza e os problemas econômicos nacionais tinham origem nos pequenos banqueiros judeus e, por extensão, na existência de todos os outros judeus.

Assim como a Ditadura Militar brasileira (1.964 - 1.985) criou o mito de que os problemas nacionais eram gerados pela tal atividade "subversiva". Ou seja, se algo não andava bem, era culpa da professorinha "comunista" ou do operário educado na cultura soviética.

Por conta dessa farsa, procuravam justificavar prisões, torturas e assassinatos. Afinal, a história estava apagada. As pessoas de bem não dispunham de acesso aos fatos verdadeiros.

Apagar a história não é costume somente dos assassinos de direita. Regimes tidos como de esquerda também recorreram ao expediente. É o caso das fotos de líderes revolucionários da antiga URSS. Com o tempo, Stálin mandava que se apagassem delas aqueles tidos como traidores do regime.

No Camboja, o Khmer Vermelho (que se acreditava comunista) tinha por prática executar pessoas simplesmente pelo fato de saberem escrever. Não desejava, pois, que a história fosse mantida ou narrada. Naquelas pilhas de caveiras, muitas haviam contido simplesmente um cérebro pensante. Fora o pecado das vítimas.


Vladimir Herzog, jornalista e professor assassinado pela Ditadura.

A história resistente do Corinthians

Às vésperas do centenário do clube, existe um movimento sutil destinado a apagar certos trechos da história do clube ou igualá-la à de outras agremiações.

Mas por quê?

Ora, a história do clube do povo, dos outsiders, é um exemplo vivo de insurreição civilizada, de coragem desafiadora, de inclusão, de iniciativa libertária, de luta pela igualdade e de valorização da diversidade.

Tudo isso incomoda demais. Nosso "ethos" agride principalmente os ditos corinthianos abrigados no lado sombrio da força. E o Centenário os assusta, pois tende a reafirmar valores solidários e desvelar segredos dessa saga popular.

Em plena era da virtualidade, as forças conservadoras (ou simplesmente bandidas) tentam de todas as formas sabotar a verdade e manter as versões fantasiosas e folclóricas dos fatos esportivos. É o caso da biografia do primeiro presidente, o ítalo-brasileiro Miguel Bataglia, que a "história oficial" tenta mostrar apenas como alfaiate, escondendo seu formação anarquista na Light.

Aliás, estupidamente se esquecem de que esse ethos é também agregador. Pois o Corinthians superou o nicho de classe e cresceu também em torno de valores. Não é à toa que existam empresários, intelectuais, cientistas e religiosos de destaque nas fileiras alvinegras.

Com cerca de 1,2 milhão de membros, a maior comunidade do Corinthians na Internet, sediada no Orkut, acaba de excluir vários dos membros que narravam ou discutiam a verdadeira história do time do povo.

Além disso, mais de 100 tópicos elucidativos foram sumariamente apagados. Nesse caso, não se trata de edição, mas de "queima" de arquivos históricos. Afinal, deseja-se agora uma comunidade boa apenas para se fazer negócios, para servir de base para a baixa politicagem e para a propaganda de midiotas bem patrocinados.

A história, felizmente, tem uma capacidade de regeneração espetacular. Não importa o tempo transcorrido, há sempre uma alma de caráter RESISTENTE que se doa pela memória dos sem-voz. Nos 100 anos de Corinthians, muitos mortos falarão, e darão petelecos nas orelhas dos falsos cabeludos fanfarrões do Século XXI.

11 comentários:

Cascarravias disse...

Tem gente que sobe em um caixote e já se enxerga lider das massas...

o bordão é velho, mas ainda válido: podem cortar algumas flores, mas não impedirão a primavera.

A verdade ainda pe mais forte que a truculencia desses neandertais.

fabianoglima disse...

Amigo eu acompanho seu posts na página da comunidade do Timão e lia o que alguns garotos postavam e ficava pensando,quando é que o Tatanka seria podado (muito elogiavam seus posts) eu emsmo comecei a entrar na comunidade apenas com o objetivo de ver se vc tinha postado algo...
Enfim vc colocou um link para esse blog, entrei gostei e coloquei nos meus favoritos para visitas mais frequentes.
Percebo que vc nunca postava esse endereço, deu pra perceber que o objetivo era não ferir siscebilidades, mas, e sempre tem o mas, vc cometeu a "vilania" de falar mal do São Neto, daí ficou fácil o argumento etapafurdio de denigrir imagem etc....
Eu te aconselho a velha técnica da guerrilha(comessemos pela releitura do manual da Guerrilha Urbana de Marighela, piadinha ...kkkk)e continue postando suas idéias, nem sempre eu concordo com elas mas são respeitáveis, bem pautadas e claras.
Só para constar estou saindo da comunidade em protesto contra a pósição do Moderadores, nada moderados dela. Um Abraço
Fabiano

fabianoglima disse...

Deixe os comentários entarrem livremente, se estiverem em desacordo depois vc os retire, assim é a democracia, aberta, plural e contraditória....kkkkk
Um abraço
Fabiano

fabianoglima disse...

Fui postar um post sobre o tema Tatanka e ele não foi colocado pela moderação, caraca os caras são bandidos mesmos....kkkkk
Brincadeira.

Carlos disse...

Esses imbecis desses "corinthianos" de orkut querem tratar o Corinthians como se fosse mais um grande clube brasileiro, igual aos outros.

Não sabem que, e o quanto, o Corinthians é diferente.

O Corinthians tem história. A mais bela história dos clubes brasileiros.

O Corinthians é o único dos grandes clubes que é popular em essência, e desde a sua origem.

O Corinthians, mais do que nenhum clube brasileiro, é marcado pela luta e a superação das dificuldades e da discriminação que sempre teve contra si.

Rodrigo disse...

TATANKA ESTAMOS QUEREMOS VC DE VOLTA NA COMU DO TIMAO !! SE FOSSE VC JA TERIA DIVULGADO O NOME DO DITADOR CASAGRANDE (MOD) !!

Alexandre disse...

Quando o poder sobe a cabeça, a pessoa pensa que pode manipular as outras, e fazer elas acreditarem no que ela pensa.
Mesmo sendo líder de uma comunidade do orkut(algo não tão importante), isso é uma forma de que só tenha lá pessoas que não tenham a capacidade de discutir e críticas os seus atos.
Isso significa, ele quer poder total, e sem o desconforto de ter alguem que possa penasar mais do que ele.

Eduardo disse...

concordo com tudo que voce escreveu e digo mais, essa tal liberdade tao pregada nesses tempos esté sendo covardemente "morta" por pessoas que se dizem preservadores da memoria corinthiana!

Paulo disse...

Profundamente decepcionante e lamentável todo o episódio.

Teus tópicos estavam realmente entre os mais relevantes e fundamentais da comunidade toda, fazendo o resgate e apologia da nossa verdadeira História, Tradição e Ideologia (não sem alguns senões, que o Corinthians é muito grande para se abarcar tudo em apenas uma cabeça e coração, e ninguém é prefeito).

Mas é preciso não desistir, e como tu disse, o Centenário está aí.

Muita coisa não se diz, não se expõe, mas o verdadeiro ideal corinthiano está presente na grande maioria dos nossos torcedores, só precisa ser resgatado novamente.

O Centenário é esse nosso grande momento.

Parabéns pelo blog, e tenho certeza que muitos que compartilhavam e acompanhavam com atenção as tuas idéias na comunidade o fazem também por aqui.

Marcus Vinny disse...

Tatankkaa!! Belo texto! E uma pena sobre os assuntos abordados e apagados da comu de 1 mi de membros!

'há sempre uma alma de caráter RESISTENTE que se doa pela memória dos sem-voz'

Anônimo disse...

MANO FIEL TATANKA, SOU UM LEITOR RECENTE DE POST'S ATÉ PORQUE SOU DE GERAÇÁO MAIS VELHA.MAS ESTE EPISÓDIO SÓ PROVA QUE A "DEMOCRACIA CORINTHIANA" TINHA OUTROS LÍDERES E QUE O CASÃO NÃO ERA UM DELES.MESMO PORQUE , COM TUDO QUE JÁ PASSOU NA VIDA , NÃO VAI APRENDER NUNCA O QUE É DEMOCRACIA. DEVERIA CONTINUAR BAMBI , ALIÁS COMO ERA NA INFANCIA. PARTE DA FIEL NUNCA ESQUECEU A 'DESMUNHECADA' QUE ELE DEU P/ JOGAR NOS BAMBIS EM 1984, FAZENDO 'CORPO-MOLE' QDO. JOGAVA AINDA NO TIMÃO.UMA VEZ BAMBI SEMPRE BAMBI!!!.NÃO É O CASO POR EX. DO MIRANDINHA CENTRO-AVANTE QUE VEIO DO AMÉRICA-RP. ERA UM SUJEITO MUITO SIMPLES QUE CONSEGUIU SER ÍDOLO NOS DOIS TIMES , A DESPEITO DE TODO O ESFORÇO DA MÍDIA P/ DESMORALIZÁ-LO NA ÉPOCA. QTO. AO NETO , SÓ JOGOU BOLA E ELE ,COMO JOGADOR DE FUTEBOL , ATÉ QUE TEM AUTO-CRÍTICA. QTO. A SER COMENTARISTA DE FUTEBOL , NÁO PRECISAMOS NEM COMENTAR. PERDE ATÉ DO FALCÁO, QUE ALIÁS , JOGOU MUITO MAIS BOLA.
SAUDAÇÕES 'FIEL-NOMENAIS!'!! E , VAMOS COMEMORAR E, NÃO PERCA MUITO TEMPO COM TRANQUEIRA!!!ESTES CARAS JOGARAM BOLA MAS JAMAIS VÁO ENTENDER " O QUE É SER CORINTHIANO". CONTINUAM AINDA DESLUMBRADOS POR TER JOGADO NO TIMÃO.POR ISSO SE PERDEM TANTO EM SUAS VIDAS !!!( É PESSOAL MAS , E DAÍ ???)