quarta-feira, 16 de setembro de 2009

O Martírio de Nosso Idário


O nosso grande Idário, ex-combatente alvinegro e eterno corinthiano, vive o ocaso do descaso.
Há anos, seu estado de saúde vinha inspirando cuidados.

Com os parcos recursos de sua aposentadoria, no entanto, não pôde submeter-se aos tratamentos necessários.

Seu joelho, que tanto suportou a ira anti-corinthiana nos campos, começou a dar mostras de exaustão.

Outros problemas crônicos fragilizaram ainda mais o craque.

Corinthianos se mobilizaram e exigiram do presidente Andrés Sanchez a inclusão de Idário e sua esposa num plano da Medial Saúde.
Os cartolas anuíram, mas nunca cumpriram a promessa.
Idário, então, teve seu estado de saúde agravado.

Recentemente, passou um mês internado num hospital do SUS.

Hoje, perdeu a fala e os movimentos das pernas. Está relegado a uma cama, pesando cerca de 40 quilos. Por conta dessa condição, tem duas feridas nas costas.

O alto valor dos remédios comprometeu a renda do casal. Chegaram a dever R$ 2 mil na farmácia, 2 contas de telefone e uma de condomínio.

As ajudas do Corinthians se limitaram, basicamente, a alguns depósitos bancários, rapidamente consumidos. Esmolas...

Idário precisa de uma enfermeira, de fraldas geriátricas e de um trabalho de reabilitação de movimentos numa clínica especializada.
Não tem obtido a ajuda regular necessária.

A esposa já pensa em vender o pequeno apartamento onde moram, único patrimônio do casal.

Pois é, muitos de nós somos corinthianos por conta da doação e perseverança desses antigos ídolos.

E aí, será que devemos algo a esses heróis?

Por que o rico futebol do business os abandonou?

***

Mais informações sobre o Idário, aqui.

2 comentários:

Douglas disse...

Olá amigo,

Aqui é o jornalista Douglas Nascimento do blog do Douglas que escreveu sobre o Tuffy. Você tem o contato da família do Idario ? Quero filmar uma reportagem para tentar angariar fundos para ajudá-lo.

Se possível me contate: douglasnascimento.sp@gmail.com

Anônimo disse...

Infelizmente, Idário faleceu.
Uma imensa perda.
Fique com Deus Idário.

Clayton